Skip directly to content

Risco de depressão após aposentadoria aumenta em 40%

Envelhecimento e Sociedade

O isolamento social e a falta de planejamento financeiro são alguns dos principais fatores de risco para ter depressão após aposentadoria. O problema é cada vez mais comum e só tende a aumentar, pois a população idosa deve triplicar até 2050 e incluir 29,3% dos brasileiros, segundo o IBGE.

Um estudo, feito pelo Institute of Economics Affairs (IEA) em 2013, comprova os riscos de deixar de trabalhar para a saúde mental. Segundo ele, a aposentadoria pode elevar em 40% as chances de desenvolver depressão. Por isso, é essencial se preparar para esta etapa da vida e mudar alguns hábitos e atitudes.

Como evitar a depressão após aposentadoria

Faça um planejamento financeiro – a preparação para a vida após aposentadoria deve começar bem antes dessa fase chegar. Planeje como poupar dinheiro e ter investimentos que completem a renda para você ter o estilo de vida que deseja e tranquilidade ao se aposentar.

Tenha um hobby – faça jardinagem, cozinhe, seja voluntário em algum projeto. Pense em alguma atividade que te dê prazer e que possa fazer parte do seu dia a dia depois que você deixar de trabalhar. Ao transferir o foco do seu trabalho para um hobby, você se sente útil e pode conhecer novas pessoas.

Pratique exercício físico – praticar exercícios físicos regularmente provoca a liberação de endorfina, o que promove a sensação de bem-estar e contribui para diminuir o risco de depressão. Além disso, melhora a qualidade do sono e a autoestima.

Evite a solidão – se sentir sozinho é um dos principais fatores de risco para a depressão após aposentadoria. Portanto, é muito importante você se cercar de amigos e familiares. Faça um curso, viaje e promova encontros de família e de amigos.

Não tenha vergonha de envelhecer – aceitar a idade é essencial para você se sentir bem consigo mesmo e para aproveitar a vida após aposentadoria. Admita que o corpo pede descanso e cuidados, e valorize o conhecimento e a experiência.

Sintomas e sinais de depressão após aposentadoria

  • Apatia;
  • Tendência autodepreciativa;
  • Diminuição no apetite;
  • Perda ou ganho de peso significativo;
  • Confusão mental;
  • Alteração do sono;
  • Pensamentos recorrentes sobre morte.

Se você percebeu alguns desses sintomas e sinais em você ou em um amigo ou familiar aposentado, lembre-se que ter apoio emocional e atividades prazerosas é muito importante. Não aceite a depressão como uma parte inevitável da vida ou deixe que alguém próximo faça isso. Depressão tem tratamento e o médico deve ser procurado o quanto antes.

Conteúdo relacionado no site Envelhecer Sem Vergonha

 

Referências

https://www.nescon.medicina.ufmg.br/biblioteca/imagem/2544.pdf - acessado em 28/09/2017

https://iea.org.uk/wp-content/uploads/2016/07/Work%20Longer,%20Live_Healthier.pdf – acessado em 28/09/2017

http://www.usp.br/espacoaberto/?materia=aposentadoria-deve-ser-pensada-com-cuidado%20 – acessado em 28/09/2017

https://hbr.org/2014/02/the-dark-side-of-retirement  – acessado em 28/09/2017

http://www.ageuk.org.uk/health-wellbeing/conditions-illnesses/depression/what-is-depression/ – acessado em 28/09/2017

http://www.searo.who.int/india/topics/depression/depressionfactsheet2.pdf?ua=1 – acessado em 28/09/2017

http://www.who.int/mediacentre/factsheets/fs381/en/ - acessado em 28/09/2017