Skip directly to content

Dicas para criar um fundo de reserva, independente do quanto você ganha

Dinheiro e Carreira

O fundo de reserva é uma maneira de não comprometer o orçamento mensal totalmente no caso de uma emergência. O SPC Brasil estima que cerca de 57% dos idosos não têm nenhum tipo de reserva de dinheiro. Veja como fazer um fundo de reserva, independentemente de quanto você ganha.

 

O que é um fundo de reserva?

O fundo de reserva, ou fundo de emergência, é o dinheiro que você guarda para não ser pego de surpresa quando algum imprevisto acontecer. O fundo é usado para não afetar o orçamento, por exemplo, no caso de um problema de saúde, de precisar fazer um conserto imprevisto no carro ou se surgir algum reparo emergencial da casa.

 

Como começar um fundo de reserva?

 

  1. Ponha no fundo de reserva somente o valor que não afetar suas despesas

A primeira coisa a ser feita antes de começar um fundo de reserva é o planejamento. Você precisará saber o quanto gasta todos os meses com as despesas básicas, como luz, internet, aluguel e alimentação, entre outros. Após verificar todos os gastos, guarde uma parte do valor que sobrar.

 

Dica: caso não afete o orçamento, poupe cerca de 5 a 10% do quanto você ganha todos os meses.

 

  1. Saiba calcular o quanto você deve ter no fundo de reserva

O valor de um fundo de reserva deve ser, pelo menos, o equivalente a três meses de suas despesas. Imagine que ele será uma maneira de se manter, caso fique sem receber por algum motivo qualquer. Caso seu plano para o fundo de reserva seja para cumprir um objetivo, como uma viagem, por exemplo, pesquise os valores necessários.

 

Dica: sempre mantenha o controle de quanto dinheiro você precisa ter guardado.

 

  1. Saiba onde investir o dinheiro do seu fundo de reserva

Embora a poupança ainda seja maneira mais popular de aplicar dinheiro, usada por cerca de 60% dos idosos que criam um fundo de reserva, existem outras opções tão seguras quanto e com rendimento maior. É o caso, por exemplo, do tesouro direto, que são títulos emitidos pelo Governo Federal e garantidos por ele, e do CDB (Certificado de Depósito Bancário), que tem proteção do Fundo Garantidor de Crédito para valores até R$250 mil.

 

Dica: se o assunto for muito complicado para você, busque a ajuda de um planejador financeiro, por exemplo.

 

  1. Como o nome já diz, o fundo de emergência é para emergências

Resista às tentações de gastar o fundo com outras coisas. É muito importante identificar se o gasto que será feito é realmente necessário ou se ele é um desejo de consumo, além de analisar se isso pode ou não ser adiado.

 

Dica: evite gastar o dinheiro que originalmente seria colocado no fundo de reserva com um possível gasto supérfluo, como almoçar fora ou comprar roupas e sapatos.

 

Referências