Skip directly to content

6 atitudes que podem incomodar seus filhos adultos

Família e Relacionamentos

Seus filhos cresceram e, provavalmente, alguns deles também já são pais. Vocês se falam e se visitam com uma certa frequência. Parece muito simples, mas a relação que temos com nossos filhos crescidos, principalmente os que já têm famílias, está longe de ser fácil.

 “Muitos avôs, e principalmente as avós, reconhecem que seus filhos cresceram, mas ainda esperam que a estrutura familiar continue igual. Eles têm a expectativa irrealista de que os feriados vão continuar sendo como antes e que a filha vai telefonar todos os dias, como ela costumava fazer”, diz a psicoterapeuta Deanne Brann, doutora e autora do livro Reluctantly Related: Secrets to Getting Along with Your Mother-in-Law or Daughter-in-Law (Parentes por obrigação: segredos para conviver com sua sogra ou nora, em tradução livre). “Quando seus filhos se tornam pais, a dinâmica muda”. Por conta desse novo cenário, algumas tensões podem surgir e gerar maus hábitos.

Você reconhece algum destes?
    
1. MAU HÁBITO: INTROMETER-SE NO CASAMENTO DOS FILHOS

Você não gosta da forma como seu genro fala com sua filha, então, tenta falar com ela sobre isso, ou você percebe que seu filho e nora estão passando por problemas financeiros, levanta o assunto durante o jantar e acaba criando uma discussão. Esses são grandes erros. “Como pais, queremos tentar resolver os problemas, mas essas situações não dizem respeito a você”, diz a Dra. Brann. “Quando você se envolve, interfere no casamento de seus filhos e gera tensão entre eles, que é a última coisa que você gostaria de fazer”.

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

“Lembre-se de que seus netos estão sempre observando”, diz a Dra. Brann. “Nós somos a referência para eles e devemos ter o comportamento que consideramos mais adequado, o que significa não gritar durante as discussões nem fazer comentários negativos sobre os pais deles”. Por mais que você queira ajudar, essa é uma responsabilidade dos pais, por isso, o melhor é contornar os problemas, deixando que seus filhos resolvam da forma deles.

2. MAU HÁBITO: FALAR ANTES DE PENSAR

Qualquer avô diria que se sente muito incomodado com algumas atitudes que seus filhos tomam para educar seus netos, ou com a maneira como eles resolveram viver a vida. De acordo com a Dra. Brann, por mais que você queira opinar, evite dar palpites. Talvez você diga algo que deixe seus filhos desconfortáveis e questionados sobre as escolhas deles como pais.

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

“Pense na época em que você criou seus próprios filhos”, diz a Dra. Brann. “Você gostaria que seus pais ou sogros dessem palpites sobre você ou seus filhos? Provavelmente, não. Pratique a regra dos 10 segundos antes de tecer algum comentário ou dar uma sugestão. Durante 10 segundos, pense se esse comentário será útil e produtivo ou acusatório e ofensivo. Se concluir que o comentário seria recebido de forma negativa, não compartilhe sua opinião.

3. MAU HÁBITO: DISCIPLINAR OS NETOS

Você acredita que deixar seus netos de castigo ou tirar alguns de seus privilégios é a melhor maneira de educá-los, mas seus filhos não compartilham essa opinião. Por mais que não concorde com o comportamento dos pequeninos, você não é responsável pela educação deles. “É como se a família fosse um bolo”, diz a Dra. Brann. “Os avós são a cobertura e os granulados, mas não são o bolo. Desempenhamos um papel importante, mas não somos os pais. Estes sim são o bolo”. Eles tomam as decisões.

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

Converse com seus filhos e pergunte o que eles querem que você faça quando seus netos se comportarem mal. Quais são as regras para ensiná-los a ter disciplina? Depois de aprender as regras, siga cada uma delas, mesmo que você não concorde com todas.

4. MAU HÁBITO: LEVAR TUDO PARA O LADO PESSOAL

É difícil não considerar as atitudes de seus netos como uma ofensa pessoal quando eles não respondem às suas perguntas ou são grosseiros. Também é difícil quando seus filhos não seguem seus conselhos. “É comum haver um identificação maior dos netos por um dos avós, o que pode ser frustrante para aquele é mais afastado”, diz a Dra. Brann. Ela afirma que a pior coisa é não entender que isso pode ser natural e achar que há menos amor na relação. .

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

“Grande parte do seu relacionamento com seus netos é baseada na maneira como você interage com eles”, diz a Dra. Brann. “Se eles forem adolescentes, talvez prefiram enviar mensagens de texto ao invés de falar ao telefone, por isso, considere a possibilidade de enviar um SMS para saber como eles estão”. Pense naquilo que seus netos falam e fazem e tente conversar com eles sobre isso. A Dra. Brann afirma que, ao ser divertido e despreocupado, a visão deles sobre você vai mudar com o tempo. “É difícil, mas às vezes você precisa observar seu próprio comportamento e pensar se não chegou a hora de mudá-lo”.

5. CRITICAR SEUS FILHOS OU NETOS

Quando você faz uma crítica ou dá uma sugestão, é como se estivesse dizendo para seus filhos adultos que eles não estão fazendo um bom trabalho. “Mais uma vez, você precisa da regra dos 10 segundos”, diz a Dra. Brann. Pense antes de falar para não ficar na defensiva nem provocar um mal-estar.

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

“Procure não dar palpites, a não ser que eles peçam a sua opinião. Até mesmo nesses casos, é preciso ter cuidado”, diz a Dra. Brann. “Lembre-se de que talvez eles não sigam o seu conselho”. Se seu filho pedir alguma sugestão, diga algo como “sei que pode ser difícil tomar esse tipo de decisão. Posso dizer o que eu faria nessa situação, mas o que funcionaria para mim pode não funcionar para vocês”. Assuma total responsabilidade pelo seu conselho e lembre-se de evitar as críticas.

6. MAU HÁBITO: AFASTAR-SE.

Você mora longe e não consegue visitar seus filhos com frequência, então decide desistir de manter contato com eles, exceto nos feriados e aniversários. Eles parecem ocupados demais e você se sente mal quando a conversa por telefone parece forçada.

HÁBITO MAIS ADEQUADO:

Dê um passo por vez, mas mantenha o contato. “Aquilo que os avós podem oferecer é importante para os filhos e para os netos. Oferecemos um novo ponto de vista e compreensão”, diz a Dra. Brann. “É essencial que eles continuem presentes na vida dos filhos, mas não precisa ser física”. Você pode usar o Skype, enviar mensagens de texto ou até mesmo escrever cartas (todas as crianças adoram receber cartas!). “Pode ser assustador telefonar e perceber que as crianças não conversam com você pelo telefone, mas tente não se assustar com isso”, diz ela. “Procure ficar cada vez mais presente”. Conheça as atividades que seus netos fazem e pergunte a respeito. Quando estiver ao lado deles, tente participar dessas atividades. Dessa forma, os pequenos vão perceber que você está tentando conhecê-los melhor para fortalecer o relacionamento.

 
Fonte:
 
Website Get Old
Matéria acessada em 25/06/2015